Fórum Rio de volta aos trilhos

Oi, tudo bem? Somos a renovação, a mudança, sonhamos pelo que muitos acreditam ser o impossível, nós vivemos para tentar trazer o trem de volta. Somos um Fórum, uma união de movimentos sociais com a proposta de lutar pelo direito de ir e vir de trem. Somos o Rio de volta aos trilhos.

O Rio hoje vive a insolvência financeira, a crise deve levar de 10 a 20 anos para deixar nosso Estado, e em um País onde o patrão paga a passagem do empregado, e como o Rio tem as passagens mais caras do Brasil, o ideal para todos é o transporte ferroviário.

Só que o Rio é o Estado onde a corrupção é mais forte, um Estado onde as cabeças pensantes erram em suas escolhas, onde se pensa no futuro só para as grandes empresas, esquecendo que a maioria da população é que move a economia.
Apesar da crescente automação, ainda é o ser humano a mola mestra do desenvolvimento, ainda é preciso abrir espaço para o crescimento individual, ainda é preciso ter espaço para o trabalhador poder viver e sonhar em ser feliz.

Há muito tempo a gente assiste calado ao desmonte das ferrovias, todos sonhamos em ter um carro, e sair por aí gastando gasolina, poluindo o meio ambiente, correndo risco de vida em acidentes, coisas que no trem são bem difíceis de acontecer.

Hoje as empresas que arrendaram a malha ferroviária do Rio, estão em fase de renovação, não pagaram suas multas, e querem devolver linhas sem estar em condições de uso, como determina seu contrato, querem jogar fora o material rodante que receberam, usaram e agora descartam sem indenizar o governo brasileiro, e ainda querem fazer obras no estado de Minas como contrapartida as multas sofridas no Rio. Mas alguns dirão eles vão pegar dinheiro no BNDES, cerca de 8 bilhões, e construir a E. F. 118, a nova ferrovia Rio Vitória, só que a velha foi abandonada, depois de um descarrilamento por falta de manutenção, e sem o pagamento da multa que receberam, que hoje está em torno de 1 bilhão e duzentos. Vamos gastar 8 bi e não receber a multa, e nem obrigar a devolução em condições de uso, como o dinheiro público não tem valor para quem está no poder. E ainda vão usar parte da ferrovia abandonada, fugindo da ideia original da nova ferrovia que é não passar pelo centro das cidades e não ter passagem de nível. Agora o pior disto tudo, é que no Rio somente gente do povo que sabe desta negociata reclama, as autoridades estão mudas diante do problema.

No Rio vivemos outro problema o trabalhador que mora na baixada e tem o trem como meio de transporte, mente para trabalhar, porque o patrão só dá 8 reais de vale transporte, e como a passagem de ônibus custa muito, esse ardil está sendo usado para poder trabalhar, mas a crise castigou o centro do Rio, e as lojas estão fechando por falta justamente do trabalhador da baixada que não tem no trem seu meio de transporte. E com isso a crise atinge em cheio a zona sul onde duas famílias perdem seu poder de compra, o dono do comercio que fechou, e o dona da loja que está sem inquilino.

E um dia em São Paulo descobri que lá trens de carga e trens de passageiros convivem e compartilham as mesmas linhas, cada um anda em seu horário, algo que a MRS faz tão bem lá, e aqui se recusa a fazer, impedindo a volta do trem barrinha ou a expansão da Supervia que pode colocar Seropédica, Itaguaí, Mangaratiba, e um bom pedaço de Nova Iguaçu, no sistema de trens urbanos, e pela antiga Rio Vitória podemos integrar também Itaboraí. E finalmente ter trens em Macaé, onde até VLT se comprou, mas nada avançou. Nada contra o transporte de cargas sobre trilhos, queremos o compartilhamento, a oportunidade para a carga e passageiro poderem chegar ao seu destino. Aí sim com a população tendo mobilidade o Estado pode voltar a sonhar com o crescimento, o Rio de volta aos trilhos.

A Supervia precisa melhorar muito, e estaremos cobrando cada descaso, cada abandono, cada prorrogação de suas obrigações. A população precisa de um bom serviço, e estaremos cobrando tudo para ter o Rio de volta aos trilhos.

Mas a falta de trens se soma a falta de mais opções turísticas, o Rio não é só uma cidade turística, o Estado todo tem grandes opções, mas também falta mobilidade para o turista. Poderíamos ter diversos trens de turismo saindo da Estação Barão de Mauá, para o Parque Nacional Pico das Agulhas Negras, Angra dos Reis, Mangaratiba, e Itaboraí, ou um tour por Penedo, Barão de Mauá, e Conservatória, um novo caminho para que o turista possa apreciar as belezas do Estado do Rio, como pensam em construir de Valença a Conservatória. E um saindo de barco da Praça XV refazendo o caminho do Imperador até Petrópolis. Com todas as opções indo, e voltando no mesmo dia.

Participe de nosso Fórum, traga seu movimento social, ou venha como voluntário, cada um que vem soma, cada um que vem nos faz mais fortes, só com união é que vamos colocar o Rio de volta aos trilhos.

Estamos aqui para isso juntar forças, buscar o que é certo, apoiar os movimentos sociais, e lutar muito para colocar o Rio de volta aos trilhos.


© 2018 Todos os direitos reservados. Design by: Realidade Virtual